Finalistas 2005
Índice de Artigos
Finalistas 2005
MELHOR LONGA DOCUMENTÁRIO
MELHOR DIREÇÃO
MELHOR ATRIZ
MELHOR ATOR
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
MELHOR ATOR COADJUVANTE
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
MELHOR FIGURINO
MELHOR MAQUIAGEM
MELHOR MONTAGEM
MELHOR SOM
MELHOR TRILHA SONORA
MELHOR CURTA FICÇÃO
MELHOR CURTA DOCUMENTÁRIO
MELHOR CURTA DE ANIMACÃO
MELHOR LONGA ESTRANGEIRO
HOMENAGEM ESPECIAL

MELHOR LONGA DE FICÇÃO

 

REDENTOR

 

Direção: Cláudio Torres

Produção: Cláudio Torres e Leonardo Monteiro de Barros

Produtor Associado: Daniel Filho

Produção executiva: Rômulo Marinho Jr.

Roteiro: Elena Soares, Fernanda Torres e Cláudio Torres

Som direto: Mark Van Der Willigen

Trilha sonora: Maurício Tagliari

Fotografia: Ralph Strelow

Direção de arte: Tulé Peake

Elenco: Pedro Cardoso, Miguel Falabella, Fernanda Montenegro, Camila Pitanga, Fernando Torres, Stênio Garcia, Enrique Diaz.

 

Célio Rocha vive a ilusão de um dia poder tomar posse do apartamento comprado pelos pais em um condomínio da Barra da Tijuca na década de 70. Ou melhor, vivia porque "seu" prédio foi invadido por moradores de uma favela e ele, como repórter, foi escalado para cobrir o acontecimento. Célio não tem apenas que enfrentar o próprio drama como reencontrar Otávio Sabóia, amigo de infância e filho do empreiteiro que construiu o Condomínio Paraíso. Redentor cria um universo rico e fantasioso em clima de superprodução repleta de efeitos especiais e imagens grandiosas.  Este é o primeiro longa-metragem de Cláudio Torres que o define como "um filme sobre o drama da classe média em um país injusto e desigual sob o ponto de vista de um filme bíblico".

 

 

NARRADORES DE JAVÉ

 

Direção: Eliane Caffé

Produção executiva: Caio Gullane, Fabiano Gullane e Vânia Catani

Direção de produção: André Montenegro e Rui Pires

Roteiro: Eliane Caffé e Luiz Alberto de Abreu

Música: DJ Dolores

Fotografia: Hugo Kovenski

Som direto: Romeu Quinto

Direção de arte: Carla Caffé

Montagem: Daniel Resende

Edição de som: Miriam Biderman

Elenco: José Dumont, Nelson Dantas, Nelson Xavier, Gero Camilo

 

Javé é um povoado ameaçado de extinção pela construção de uma hidrelétrica que inundará toda a região. Os moradores se reúnem em uma igreja para buscar uma solução que salve sua história. E é justamente através do relato do nascimento do povoado e dos feitos de seus "heróis" que se procurará manter Javé viva assim como ela se encontra no testemunho oral de seus habitantes. Versões contraditórias se entrelaçam e cada morador que deixar sua marca naquele livro "científico" que o pouco confiável Antônio Biá tem a missão de escrever. A impossibilidade da construção da grande narrativa acaba por frustrar o plano e Javé é inundada pelas águas. Narradores de Javé é o segundo longa-metragem de Eliane Caffé, que também fez Kenoma com o mesmo José Dumont, o presepeiro Antônio Biá, no elenco. 

 

 

O OUTRO LADO DA RUA

 

Direção: Marcos Bernstein

Produtora executiva: Mariza Figueiredo

Produção: Kátia Machado e Marcos Bernstein

Roteiro: Marcos Bernstein e Melanie Dimantas

Música: Guilherme Bernstein Seixas

Fotografia: Toca Seabra

Som direto: Jorge Saldanha

Direção de arte: Bia Junqueira

Montagem: Marcelo Moraes

Edição de som: Waldir Xavier

Elenco: Fernanda Montenegro, Raul Cortez, Laura Cardoso e Luiz Carlos Persy

 

Regina é uma aposentada de 65 anos que passa os dias na janela observando a vida alheia em busca de pequenos delitos para denunciar à polícia. Certo dia, ela vê uma cena em um apartamento do outro lado da rua que supõe ser um assassinato. Mas a polícia a informa que foi uma morte natural. Insatisfeita com a resposta, ela decide investigar o caso por conta própria e acaba se envolvendo com o suposto assassino, o juiz Camargo. Nessa relação tardia e cheia de conflitos, Regina e Camargo reavaliam suas vidas. Mais do que falar sobre a solidão na velhice ou construir uma trama policial, o filme trata da "possibilidade do afeto, apesar de todos os medos e de todos os riscos", como declarou o diretor Marcos Bernstein em sua estréia como diretor de longa-metragem depois de uma carreira premiada como roteirista.

   

 

CONTRA TODOS

 

Direção: Roberto Moreira

Produção executiva: Geórgia Costa Araújo

Roteiro: Roberto Moreira

Música: Livio Tragtenberg

Fotografia: Adrian Cooper

Direção de arte: Marjoire Gueller, Joana Porto e Mirella Martinelli

Montagem: Mirella Martinelli

Edição de som: Eduardo Santos Mendes

Elenco: Leona Cavalli, Sílvia Lourenço, Ailton Graça, Giulio Lopes, Marta Meola

 

 

Um alegre almoço dominical em uma casa do subúrbio paulista reúne Teodoro, Cláudia, Soninha, Júlio e Waldomiro. Mas, em seguida, a imagem de um mar de sangue que se abre sob o horizonte. Insinua-se a violência sobre a qual a trama de Contra todos  irá se construir transformando radicalmente a vida de todos os personagens. Ninguém é o que parece ser. Mas é justamente o mais confiável deles, Waldomiro, que se revela, ao final, o agente de todas as tragédias que se abatem sobre o cotidiano daquelas pessoas. Paixão, violência, inveja, ganância são os sentimentos que traçam as linhas de ação desse mundo sem inocência. Contra todos é o primeiro longa-metragem de Roberto Moreira que optou por filmar com câmera digital e uma equipe reduzida criando condições similares aos do documentário e concentrando-se, particularmente, na dramaturgia e na encenação.   

 

 

CAZUZA - O TEMPO NÃO PÁRA

 

Direção: Sandra Werneck e Walter Carvalho

Produção: Daniel Filho

Direção de produção: Marcelo Torres

Roteiro: Fernando Bonassi e Victor Navas

Direção musical: Guto Graça Mello

Fotografia: Walter Carvalho

Som: Zezé D'Alice

Montagem: Sérgio Mekler

Direção de arte: Cláudio Amaral Peixoto

Elenco: Daniel de Oliveira, Marieta Severo, Reginaldo Faria, Andréa Beltrão, Leandra leal, Emílio de Mello

 

Em 1981, despontava no cenário musical brasileiro um músico talentoso e inquietante: Cazuza, vocalista e letrista da banda Barão Vermelho. Era um momento de proliferação de bandas do rock nacional que em suas músicas cantavam os anseios de uma geração recém-saída do regime militar. Cazuza se destacou desde sua primeira apresentação sob a lona do Circo Voador, passando pelo "Rock in Rio" onde cantou enrolado em uma bandeira brasileira até suas últimas aparições públicas, com o corpo já debilitado pela Aids, que encerrou sua vida prematuramente aos 32 anos. O filme Cazuza - o tempo não pára revela a trajetória de um artista instável, transgressor e desafiador que quis descobrir os caminhos que poderiam levar além de sua vida confortável de garoto da Zona Sul. O filme dirigido por Sandra Werneck e Walter Carvalho surpreendeu o público particularmente pela interpretação do ator Daniel de Oliveira no papel do protagonista.

 

 



Próximo>
Memória